– Considerar a profissão como alto título de honra e não praticar nem permitir a prática de atos que comprometam a sua dignidade;

– Prestigiar as entidades de classe, contribuindo sempre que solicitado, para o sucesso de suas iniciativas em proveito da profissão, dos profissionais e da coletividade;

– Manter constante contato com o Conselho Regional respectivo, procurando aprimorar o trabalho desse órgão;

– Zelar pela existência, fins e prestígio dos Conselhos Federal e Regionais, aceitando mandatos e encargos que lhes forem confiados e cooperar com os que forem investidos em tais mandatos e encargos;

– Observar os postulados impostos por este Código, exercendo seu mister com dignidade;

– Exercer a profissão com zelo, discrição, lealdade e probidade, observando as prescrições legais e regulamentares;

– Defender os direitos e prerrogativas profissionais e a reputação da classe;

– Zelar pela própria reputação mesmo fora do exercício profissional;

– Auxiliar a fiscalização do exercício profissional, cuidando do cumprimento deste Código, comunicando, com discrição e fundamentadamente, aos órgãos competentes, as infrações de que tiver ciência;

– Não se referir desairosamente sobre seus colegas;

– Relacionar se com os colegas, dentro dos princípios de consideração, respeito e solidariedade, em consonância com os preceitos de harmonia da classe;

– Colocar-se a par da legislação vigente e procurar difundi-la a fim de que seja prestigiado e definido o legítimo exercício da profissão. (Fonte: Resolução-COFECI n.º 326/92, art. 3º).

Skip to content